(Tradução livre feita por mim, como exercício de tradução literária, do conto original em inglês publicado na edição de dezembro da The New York Review of Books. ) * Mentiras  J.M. Coetzee   Querida Norma, Estou escrevendo de San Juan, do único hotel da cidade. Fui ver minha mãe hoje à tarde – fica a meia hora…

Ler mais

Excerto do ensaio  de Albert Camus”The Minotaur, or the Stop in Oran (1939)” Encontrei esse fragmento numa busca recente por ensaios em língua estrangeira, com pretensões de exercícios de tradução literária. Descobri logo depois que essa é apenas a primeira parte do texto – que desconheço o autor da tradução. Soube de uma tradução para…

Ler mais

Em “Infância” e nas autobiografias seguintes, Coetzee refere-se a si mesmo apenas pelo pronome “ele”. Até mesmo sua decisão em escrever sob o nome J.M. Coetzee – elidindo “John” e inserindo uma inicial no meio levando a mal entendidos sobre ele por décadas (o M. significa Maxwell, não Michael) – cria uma cortina em torno…

Ler mais